Problemas na Gravidez: placenta prévia


placenta prévia

A placenta prévia é um dos problemas que pode ocorrer na gravidez, sendo muitas vezes detetada somente no 2º ou 3º trimestre da gestação. A placenta prévia nada mais é do que a implantação da placenta, total ou parcialmente, na parte inferior do útero, o que leva a uma cobertura total ou parcial do colo do útero.

Fatores de Risco

Os fatores de risco para a ocorrência deste problema na gravidez podem ser:

  • Cesariana anterior
  • Episódio anterior de placenta prévia
  • Gravidezes múltiplas
  • Idade avançada da gestante
  • Mulheres de etnia africana ou asiática
  • Submissão a uma cirurgia, numa gravidez anterior para retirar restos de placenta ou membranas que possam ter ficado no útero (curetagem uterina)
  • Tabagismo e drogas

Relativamente aos sinais e sintomas observáveis de placenta prévia, o único sintoma que se pode notar é a presença de sangue vivo, não associada a contrações ou a dor.

Diagnóstico do problema

Por vezes, com o aumento do útero, a placenta parece afastar-se da parte inferior do útero, dando uma ideia errada da sua posição efetiva.

Por esse motivo, o diagnóstico final só é possível após as 30 semanas de gestação.

Dos meios e técnicas disponíveis para fazer o diagnóstico deste problema, destacam-se os seguintes:

  • Ecografia (abdominal ou intravaginal)
  • Exame ginecológico com espéculo (instrumento que facilita a visão do médico diretamente através do orifício vaginal da grávida)
  • Feto que não dá a volta e não encaixa a cabeça na pelve materna

Os efeitos da ocorrência de placenta prévia durante a gravidez são o aborto ou parto prematuro.

Tratamento

 

As medidas que possibilitam o tratamento da placenta prévia são variadas, mas exigem todas elas um cuidado da gestante no sentido de analisar os mais pequenos sinais e cumprir todas as indicações do médico obstetra. As mais comuns são as seguintes:


  • A acrescentar a estes cuidados primários, poderá ser necessário tomar um laxante suave, a fim de evitar esforço para defecar. A gestante será ainda submetida a ecografias periódicas e caso sejam detetadas hemorragias numa fase muito precoce da gestação, o obstetra poderá recomendar uma cirurgia para não permitir que o colo do útero abra.
    Repouso
  • Vigilância das hemorragias
  • Suspensão das relações sexuais (não é obrigatório, mas aconselhável)
  • Dieta equilibrada, rica em fibras
  • Ingestão de bastantes líquidos

Apesar de este ser um problema que causa grande preocupação à grávida, desde que siga todas as indicações do seu médico, a gravidez chega ao termo. Há ainda a registar que nos casos em que se verifica uma placenta prévia, normalmente, o obstetra indica que o parto seja feito com recurso à cesariana.





  No comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>