Importância de Planear a Gravidez

Procure planear a gravidez pelo menos três meses antes de tentar engravidar.

É nas primeiras semanas, quando provavelmente nem há suspeitas de estar grávida, que o desenvolvimento do bebé pode ser mais afetado.

Mantenha-se em forma e faça uma dieta equilibrada para garantir a alimentação e proteção do seu filho.

Nutrientes que não podem faltar durante a Gravidez

Durante a gravidez o seu corpo precisa de mais nutrientes, que vão manter a sua saúde e garantir o desenvolvimento do seu bebé. Veja a seguir o que não pode faltar no seu regime diário para que possa seguir uma alimentação equilibrada nesta maravilhosa fase da sua vida:

Ácido fólico
Também conhecido como vitamina B9, o ácido fólico ajuda a formar o tecido nervoso e as células sanguíneas do bebé. A falta deste nutriente pode causar doenças e mal-formações no feto. O ácido fólico poderá ser encontrado em vegetais verde escuros, fígado, leguminosas e citrinos, mas é difícil prover a necessidade diária na gravidez (600 microgramas) só com a alimentação. Grande parte das vezes, o médico indica um suplemento alimentar capaz de suprir as necessidades do organismo.

Cálcio
Para formar os ossos do bebé, você tem que reforçar o consumo de cálcio na sua alimentação. Uma grávida precisa de 1.300 miligramas de cálcio por dia (30% a mais do que o normal).
Encontra o cálcio no leite e no iogurte e também em queijos (de preferência magros).

Importância do Aleitamento Materno

O leite materno é o alimento mais completo que existe durante os primeiros meses do seu filho, suprindo todas as suas necessidades nutricionais.

As glândulas mamárias produzem diariamente entre 600 e 800 mililitros de leite, não sendo necessários quaisquer suplementos, nem mesmo água. O bebé deve mamar preferencialmente quando tiver vontade de o fazer, devendo evitar-se o estabelecimento de horários fixos.

Saiba por que é tão importante amamentar e quais são as vantagens desse ato de amor, para si e para o seu filho:

Problemas na Gravidez: aborto espontâneo

O aborto espontâneo, também designado aborto natural, é uma interrupção involuntária da gravidez que ocorre até às 20 semanas de gestação. É assim designado para se diferenciar dos abortos induzidos com recurso a métodos cirúrgicos ou terapêuticos.

Este tipo de aborto tem uma expressão cada vez mais significativa na sociedade, as suas causas diversas: estilos de vida e alimentação pouco saudáveis, sedentarismo, gravidez tardia (cada vez mais as mulheres engravidam no limite da idade reprodutiva) e stresse.

Na maioria das vezes, os abortos espontâneos ocorrem até à sétima semana de gestação, havendo muitos casos em que a mulher nem sequer sabia que estava grávida.

Aumentam Testes de Paternidade durante a gravidez

Devido a problemas de infidelidade ou ciúme entre os casais e, como alguns alegam, para acabar com os filhos ilegítimos, há cada vez mais testes de paternidade durante a gravidez. Os especialistas dizem que estes exames não são éticos e que os abortos vão aumentar…

Cada vez mais mulheres fazem o teste de paternidade durante a gravidez e muitas optam por abortar quando descobrem que os bebés são fruto da infidelidade, ou seja filhos dos amantes.

No Reino Unido, as estatísticas dizem que um em cada 25 homens poder estar a educar crianças que não são suas. A situação está a gerar polémica no país, tendo sido criados grupos pró-vida que contestam a realização destes testes e laboratórios que se recusam a fazê-los com medo de que o número de abortos aumente.