Começar a Viver a Paternidade durante a Gravidez


viver a paternidade

Durante a gravidez, o corpo da mulher passa por inúmeras transformações de caráter físico e psicológico; tem enjoos, náuseas, cansaço e variações de humor. Às vezes chora, às vezes ri…

É provável que o companheiro fique confuso, inseguro e até enciumado devido a todas as mudanças por que a gestante está a passar e ele não sente.

Como a gravidez costuma ser acompanhada por muitas dúvidas e inseguranças, é fundamental a mãe ter com quem dividir todas essas transformações e desafios. Então, poderá perguntar-se sobre o que fazer para que o parceiro também se sinta grávido consigo.

A criança é dos dois e espera-se que o pai acompanhe a mãe nas consultas, se interesse pela gravidez e pelos preparativos para a chegada do bebé. Já vai longe o tempo que o filho era responsabilidade só da mãe e ela nem sequer ousava protestar. Felizmente, houve uma mudança na sociedade! O homem passou a participar activamente na gravidez e a ajudar na educação e nos cuidados com os filhos. Os pais têm hoje um papel diferente e os que não participam são cada vez mais uma exceção.

homem gravidez

Caso o seu companheiro pertença a essa minoria, faça-o sentir-se parte e próximo desse maravilhoso projeto a dois que é a gravidez. Às vezes basta aproximar-se dele, mesmo que de início seja difícil para ambos; ele pode ficar retraído porque não sabe o que fazer, sentir-se inseguro para cumprir o novo papel ou está confuso com as mudanças na sua vida a dois.

Esta aproximação deverá ser feita com subtileza, irritar-se por algo que ele não sabe ao certo como fazer pode afugentá-lo ainda mais.

A maternidade e paternidade são sentidas de maneiras diferentes pelos dois. Só é preciso encontrar um consenso para expressar sentimentos que provavelmente são muito parecidos: amor, medo, alegria, insegurança…

Chame o pai a participar, peça a sua companhia nas consultas, indique livros, leve-o a participar nos cursos de preparação para o parto, conte todas as mudanças que vai sentindo no seu corpo. Mas, acima de tudo, abra-se com ele e exponha as expetativas que tem sobre o seu comportamento.

Deixe-o descobrir como pode ser um pai companheiro desde os primeiros momentos de vida do vosso filho. Não pense que essa atitude significa mendigar atenção ou que a iniciativa deveria ser dele. Deverá ser compreensiva e, com o tempo, irá descobrir um homem responsável, participativo e atento às suas dores e desejos. Contagiado pelas fases que passa durante a gravidez, o pai pode inclusive comer mais, competindo com a sua barriguinha. Sinais (ótimos!) de que os dois estão grávidos.





  No comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>