Influência do Stress no Tratamento da Infertilidade


influência dostresse no tratamento da infertilidade

Se está a tentar engravidar há algum tempo e as diversas tentativas de conceção se revelam infrutíferas, está na altura de falar com o seu médico para fazer os exames necessários e, eventualmente, iniciar um tratamento de infertilidade com o seu marido.

O diagnóstico da infertilidade do casal, assim como os tratamentos e técnicas de reprodução assistida são processos que costumam ser longos. Este longo período de espera, associado à instabilidade psicológica própria desta fase, muitas vezes interfere no relacionamento do casal, chegando mesmo a ser tudo posto em causa. No entanto, mais do que nunca, o casal precisa de se manter unido no seu objetivo de formar uma nova família.

Lembre-se sempre de que, para conseguir engravidar, tão importante é o tratamento das causas físicas da infertilidade como manter o stresse o mais longe possível da relação. Deve dar-se a máxima atenção aos primeiros sinais de stresse nesta luta do casal contra a infertilidade, a fim de travar atempadamente o desalento e desgaste psicológico que em nada irão ajudar nesta fase.

Logo que sejam detetados os primeiros sinais, o casal deverá procurar ajuda psicoterapêutica ou simplesmente conversar tranquilamente sobre o assunto, a fim de, em conjunto, ultrapassarem a situação.

São vários os sinais de alerta, de entre os quais podemos destacar os seguintes:

  • Aborrecimento e incómodo na companhia de amigos e parentes por medo de ter de falar sobre o tratamento;
  • Choro repentino, sem qualquer razão aparente;
  • Culpabilizações mútuas entre o casal;
  • Dificuldade de concentração (só consegue pensar em engravidar);
  • Falta de “tempo”, ou seja de disponibilidade, para viver momentos a dois (a vida do casal passa a estar unicamente centrada no tratamento);
  • Falta de paciência e frequentes demonstrações de irritação;
  • Falta de prazer e entrega na relação a dois e no próprio ato sexual;
  • Falta de sentido de humor (sensação de que, sem um bebé, a vida não tem sentido);infertilidade sem stresse
  • Insónias;
  • Perda da autonomia, entregando-se, sem questionar, ao que o médico ou o parceiro dizem;
  • Perda de interesse por tudo o que não esteja relacionado com o tratamento para a infertilidade…

Para lá das questões físicas que possam existir (e que, cada vez mais, podem ser ultrapassadas), o stresse é um dos factores que maior influência tem sobre fertilidade, provocando desgaste, ansiedade e problemas de relacionamento entre o casal.

Na mulher, o stresse altera a produção de hormonas importantes para a reprodução, assim como também pode aumentar os níveis de cortisol no sangue, alterando as hormonas responsáveis pelo ciclo ovulatório, o que origina dificuldades acrescidas em engravidar.

O homem também é negativamente afetado pelo stresse, uma vez que a ansiedade e o nervosismo, em geral, baixam a libido e podem influenciar a produção de espermatozóides.

Quando o casal se deixa vencer pelo stresse durante o tratamento da infertilidade, além da relação ficar desgastada, torna-se naturalmente mais difícil conseguir engravidar.

Lembre-se que se a infertilidade tiver causas físicas, estas serão detetadas e, em conjunto com o médico especialista, encontrarão a melhor solução para o seu problema. Por isso, viva a sua vida ao máximo, desfrutando cada momento com o seu parceiro sem pensar na gravidez – podem tentar tirar umas férias ou até fazer uma segunda lua de mel…





  1 Comment

Uma Resposta para Influência do Stress no Tratamento da Infertilidade

  1. Adriana diz:
    estou tentando engravidar desde janeiro nao tomo a injecao,misigyna,quando para de tomar anticonsepcional quanto tempo demora p engra vidar tenho 33 anos e um filho que vai fazer 13 anos 10/11/13.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>