Enjoos e Estrias são comuns durante a Gravidez


estrias na gravidez

Os enjoos e as estrias estão entre os males mais comuns durante a gravidez.

Em média, 80% das gestantes sofrem de enjoos no início da gravidez, sobretudo devido à inexistência da placenta, que começa a ser formada assim que o óvulo fecundado se implanta no útero, mas só está completamente formada a partir das 12 semanas de gravidez. É exatamente nessa fase que os enjoos tendem a desaparecer.

O inverso também acontece, ou seja, desconfortos no estômago provocados pelo peso excessivo – como na gravidez de gémeos ou de fetos com mais de quatro quilos. O feto, muito grande, pressiona o tubo gástrico e o estômago, atrapalhando o funcionamento do sistema digestivo, daí o desconforto sentido pela mãe

Já as estrias resultam da combinação de uma pele desidratada com o inevitável aumento de peso. As fibras de colageno e elastina presentes na região abdominal são destruídas, criando fendas que formam cicatriz – as estrias.

Não se deixe iludir pelo mito de que coçar forma estrias. Faça-o, com moderação, caso sinta essa necessidade, pois as unhas atingem apenas a camada superficial da pele, não as regiões onde estão as fibras que se rompem.

Numa primeira fase, as estrias são avermelhadas por causa do sangramento interno. Posteriormente, quando se tornam brancas, já estão cicatrizadas e a produção de melanina não ocorre mais no local, o que significa que, mesmo estando bronzeada, a pele vai ficar sempre com marcas.

Para evitar as estrias, a gestante deverá fazer uma prevenção cuidada, dando especial atenção a dois cuidados essenciais:

  1. A hidratação constante e profunda da pele. É preciso ter atenção na escolha dos hidratantes, pois muitos deles (óleos ou cremes) apenas lubrificam, sem penetrarem verdadeiramente na pele –  produtos que contenham proteína da ureia, avelã e uva estão entre os mais eficazes; o creme à base de silicone também é um bom aliado, pois forma uma camada que retém a humidade natural das células.
  2. Não ter um grande aumento de peso, engordando, no máximo, dez a doze quilos durante a gravidez.

Os cuidados devem ser redobrados a partir do quarto mês. Nessa fase, a barriga costuma ter a maior variação de crescimento, favorecendo estrias mais largas e profundas. Mas, caso não consiga escapar às marcas, relaxe e faça uso dos produtos e/ou tratamentos que a ajudam a recuperar o aspecto natural da pele.

A importância da alimentação

Uma alimentação equilibrada não só previne os enjoos como também dificulta o surgimento das estrias, quando se concilia o uso de um bom creme hidratante.

Durante a gravidez, a mulher deverá ingerir seis a oito refeições diárias, dando grande destaque à ingestão de frutas, verduras e legumes. As proteínas, que colaboram na prevenção das estrias, não devem faltar na alimentação da grávida – as carnes brancas são uma boa fonte, mas as vermelhas também são boas fontes de ferro e combatem a anemia.

Atualmente, também estão disponíveis medicamentos que não prejudicam o feto e aliviam o desconforto da mãe, basta pedir a orientação ao seu médico.

No entanto, nesta fase, deverá dar especial atenção aos chás ou outros remédios caseiros, não os tomando sem o conhecimento do seu médico. Isto porque as alternativas consideradas naturais podem causar danos ao bebé. Muitas ervas (como a camomila, a hortelã) têm ação abortiva ou, em em alguns casos, provocam relaxamento uterino.





  1 Comment

Uma Resposta para Enjoos e Estrias são comuns durante a Gravidez

  1. isma diz:
    Óptimo post, não tive esta orientação na minha primeira gravidez. Acredito que resolva.

Responder a isma Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>