Doenças na Gravidez: diabetes gestacional


diabetes gestacional

Nem sempre a diabetes é uma doença desenvolvida durante a gravidez; em grande parte dos casos, a mulher já tem a doença antes de engravidar. No entanto, existem efetivamente casos de mulheres que durante a gravidez desenvolvem a doença, embora nunca tenham sido diabéticas anteriormente. Quer a mulher seja já diabética ou venha a sê-lo durante a gestação, nesta fase a doença designa-se diabetes gestacional, pois tem características específicas neste período da vida.

A diabetes gestacional é diagnosticada pela primeira vez durante a gravidez e pode ou não perdurar após o parto.

A doença resulta de uma alteração dos hidratos de carbono, devido a uma deficiente produção de insulina ou por uma má utilização da mesma pelo organismo da futura mãe, levando a um aumento dos níveis de glicémia (açúcar no sangue). A carência ou inação da insulina impede o organismo de aproveitar as proteínas, as gorduras e os hidratos de carbono, fontes de energia essenciais.

Quando é detetada a diabetes gestacional, a gravidez é considerada de risco e há uma série de medidas que devem ser tomadas. Para conhecer melhor a doença e poder tomar alguns cuidados para ter uma gravidez saudável, apresentamos-lhe uma lista sucinta com os principais sintomas, fatores de risco, formas de diagnosticar a doença, efeitos na gravidez e medidas a tomar para tratar a doença.

Fatores de Risco da diabetes gestacional:

  • Antecedentes familiares de diabetes;
  • Fumar;
  • Idade da mulher superior a 35 anos;
  • Muitas gravidezes anteriores;
  • Obesidade ou grande aumento de peso durante a gravidez;
  • Sedentarismo;
  • Situação anterior de diabetes gestacional.

Sintomas:

  • Aumento da sede e da fome;
  • Inchaço;
  • Necessidade de urinar com mais frequência do que o habitual;
  • Sensação de fraqueza frequente.

Diagnóstico da doença:

  • Averiguação de antecedentes pessoais ou familiares semelhantes;
  • Aumento considerável do útero em relação à fase gestacional;
  • Feto demasiadamente grande para o tempo de gravidez;
  • Registo de alterações nas análises à glicémia;
  • Teste de tolerância à glicose positivo. Caso seja negativo, apenas terá de o repetir por volta da 32ª semana para exclusão da hipótese de ter desenvolvido diabetes gestacional.
    Este teste, também designado Teste de O´Sullivan, aplica-se a todas as gestantes entre as 24 e as 28 semanas de gravidez. Consiste em beber 50 g de dextrose (açúcar) e, após uma hora durante a qual a mulher deve estar parada, é feita uma recolha de sangue para avaliar os níveis de glicose. Se os níveis estiverem acima de 140mg/dl, o médico pode solicitar o Teste Oral de Tolerância à Glicose, com uma duração de 3 horas, em que se vai avaliando periodicamente os níveis de glicose no sangue.

diabetes gestacional

Efeitos da diabetes na gravidez:

  • Aumento do líquido amniótico;
  • Aumenta o risco de aborto e parto prematuro;
  • Risco de hipertensão.

A diabetes gestacional não tem efeitos nocivos somente na mãe, em grande parte é o próprio bebé que pode sofrer mais.

A glicose elevada no sangue da mãe passa para o feto e este, para se defender dos efeitos nocivos dos altos níveis de glicose, aumenta a sua própria produção de insulina. No entanto, este mecanismo de defesa poderá ter sérias consequências para o bebé, levando muitas vezes a que que a criança seja muito grande (pesando cerca de 4kg a 4,5kg à nascença). Os bebés microssómicos (com um tamanho e peso excessivo em relação à média) podem ter vários problemas — como alteração nos ombros, asfixia, problemas respiratórios na infância, alterações cardíacas, hipoglicemia, entre outros.

O efeito da diabetes gestacional mais comum é a hipoglicemia ao nascimento, uma vez que os níveis de insulina do feto estão aumentados para compensar a glicose da mãe.

Regista-se também que os filhos de mães diabéticas não tratadas apresentam uma maior predisposição para desenvolver obesidade na infância e diabetes tipo 2.

Tratamento da diabetes:

  • Acompanhamento médico nas áreas da obstetrícia e nutrição, no sentido de estabelecer uma dieta rigorosa.
    Nestes casos, em geral, é proibido comer doces, refrigerantes, frutos secos, batatas fritas, bananas, uvas, meloas, bebidas alcoólicas; os lacticínios devem ser magros e deverá beber apenas um café por dia sem açúcar.
  • Estabelecimento de uma atividade física regular.
  • Administração de insulina.
  • Avaliação diária da glicémia.
    Durante o parto, os níveis de glicémia são rigorosamente controlados para salvaguardar ao máximo a mãe e o bebé.

Caso seja detetada diabetes gestacional, deverá, pois, atender e cumprir rigorosamente as indicações do médico, a fim de não colocar em risco a sua saúde e, acima de tudo, a do feto que, nesta fase, depende inteiramente de si.





  No comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>