Viver a Paternidade: estabelecimento dos Afetos


pai e filho bebé

A vivência da paternidade constrói-se com o tempo e à medida que se estreitam os afetos com o bebé, não é imediata.

Mesmo que o homem acompanhade a gravidez ao lado da mulher, o processo do pai decorre de fora para dentro, enquanto o da mãe é de dentro para fora. A mulher tem nove meses para criar laços afetivos com o bebé, ao mesmo tempo que se adapta às transformações que ocorrem no corpo e na alma. O homem, por sua vez, vai vendo as transformações no corpo da mulher, sem conseguir ter com o bebé a relação íntima que a mãe estabelece desde o início da gravidez, e de repente aparece um novo ser que é seu filho…

Ou seja, o vínculo afetivo não costuma ser tão imediato no homem como é na mulher, embora ele também amadureça com as transformações. Basta ter paciência… Para a maioria dos homens, o estabelecimento do afeto e a vivência da paternidade pode levar meses.

Tudo começa com os ciúmes, afinal ele terá de dividir a mulher com outra pessoa, mesmo que seja o seu filho.
Depois, vem a culpa. Primeiro, por sentir ciúmes do próprio filho e, segundo, por não sentir aquela conexão imediata com o bebé. Isso porque, antigamente, o homem tinha um papel de provedor da família e não era esperado que desenvolvesse, à partida, um vínculo tão próximo com os filhos como a mãe.

viver a paternidadePara lidar com essa mudança, o homem precisa de se consciencializar que o processo de reconhecimento do filho é um fenómeno natural, aceitando-o como algo gradual. Com o tempo, ele começará a identificar traços de família no bebé, a criar a sensação de proteção, responsabilidade e afeto e a sua natureza humana tratará de fazer o resto.

O toque é a melhor forma de desenvolver e firmar o vínculo afetivo, bem como de o pai e o bebé se habituarem um ao outro. Por isso, a shantala (massagem indiana, própria para bebés) é uma das melhores maneiras de estreitar os laços do pai com o bebé. Uma boa sugestão é estabelecer uma rotina, em que o pai faz shantala todos os dias, antes do banho do bebé (e se der o banho, melhor ainda!).

A mãe, por sua vez, também precisa de se lembrar que o filho é dos dois e não só dela. Assim, fazer ocasionalmente a massagem como um ritual a três pode ser uma ótima forma de criar uma interação familiar, estando a criança a receber os toques da shantala da mãe e do pai ao mesmo tempo. Mas a melhor solução para o pai estabelecer a paternidade e estreitar os laços afetivos é fazer algo para se integrar, procurando criar uma rotina de atividades em que esteja sozinho com o bebé.





  No comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>