Dicas Práticas para escolher o nome dos seus filhos


Dicas Práticas para escolher o nome do seu filho

Escolher o nome de um filho não é propriamente uma tarefa fácil; as hipóteses são muitas, quer seja menino ou menina. Deverá pensar muito bem no nome que será dado ao bebé. A sua escolha fará parte da identidade do seu filho para o resto da vida, podendo ser para ele motivo de orgulho ou de desgosto, uma vez que será sempre chamado pelo nome que lhe deu.

Deixamos-lhe dicas práticas que poderão ajudar na hora da escolha, pensando acima de tudo na identidade e bem-estar da criança.

Dicas para escolher bem o nome do seu filho:

  • Um bom nome é aquele que tem uma sonoridade bonita, sendo fácil de escrever, pronunciar e lembrar. Tenha em mente que o bem-estar do seu filho é o mais importante e não a mera satisfação de um capricho dos pais ou de outro qualquer familiar.
    Pense se ele se irá sentir bem ao ser chamado pelo nome que escolher – quantas crianças não sofrem no silêncio ao serem ridicularizadas pelo seu nome…
  • Para testar a(s) escolha(s), escreva o nome, diga-o em voz alta, veja se combina com os apelidos da sua família…
    Poderá fazer uma seleção dos nomes que mais gosta, tomando a decisão final quando o bebé nascer, depois de olhar para a sua carinha e ver os primeiros sinais da sua personalidade.Que nome escolher?
  • Os gregos da antiguidade clássica acreditavam que o nome dado a uma criança definia seu destino. Independentemente daquilo em que se acredita, o nome carrega em si um significado. Como tal, vale sempre a pena investigar a origem e significado de um nome antes de escolher (muitas vezes é útil para fazer um desempate quando se está indeciso entre dois nomes).
  • A difusão da numerologia associada a um dogmatismo perturbante é responsável pela grafia inusitada de muitos nomes. Nestes casos, são acrescentadas vogais e/ou consoantes para que o nome atinja um determinado número de letras e, desta forma, a criança possa ser afortunada na saúde, no amor e nas finanças.
    Antes de tomar qualquer decisão imponderada e transformar um Miguel em Miguelle, pense sobre as consequências da sua decisão na vida do seu filho, mais que não seja pelo facto de ele ter de aprender a escrever o nome a confrontar-se com a realidade de o ver devidamente escrito nos documentos.
  • Pense bem antes de escolher um nome originário de outra língua. Para lá da dificuldade que muitas vezes há em escrevê-lo corretamente, nem sempre a pronúncia em Português soa tão bem como o nome original.
  • O nome pode sugerir a origem, o contexto cultural, a época e até o lugar em que a criança nasceu. Por exemplo, nos anos 70 era muito comum dar o nome das personagens das fotonovelas aos bebés – Sandra, Sabrina… Aliás, isso ainda hoje se passa, sendo que muitas vezes os pais atribuem aos filhos nomes dos seus personagens ou cantores favoritos.
  • Houve um tempo em que o nome era atribuído de acordo com o mês em que o bebé nascia: vejam-se os casos de Júlio (julho) e Augusto (agosto).
    Pense nas marcas que quer (ou não) que o nome do seu filho carregue ao ser chamado pelo nome que escolheu para ele.
  • Cuidado com as junções de nomes de pessoas ou ocasiões importantes para os pais! O resultado por noma não é bom… Pense bem se a escolha do nome do seu bebé não é apenas fruto de uma obstinação ou vaidade pessoal.
    Nunca se esqueça: o bem-estar da criança deve estar sempre em primeiro lugar!
  • Dar um nome ao bebé para marcar a continuidade ou prestar homenagem a um familiar também pode não ser boa ideia – Júnior é um exemplo vulgar deste tipo de situação que, em alguns casos, pode inibir a afirmação da individualidade da criança.
  • Pense que o nome que der ao seu filho irá perdurar décadas, por isso não invente na hora da escolha.
    A título de curiosidade, pesquisas americanas mostram que pessoas com nomes muito exóticos são preteridas em vagas para emprego.
  • No caso de nomes compostos, será sempre melhor escolher um básico como Maria ou João e acrescentar outro mais forte. Convinhamos que composições como Manuela Patrícia ou Tiago Paulo não costumam funcionar muito bem…

Um dado curioso é a tendência atual para preferir nomes clássicos – como Maria, Matilde ou Carolina – que estiveram quase em desuso no final do séc. XX. Deixamos-lhe uma lista com o significado de alguns dos nomes clássicos mais comuns:

A escolha deverá ser feita de forma consciente pelos pais, podendo ser ouvida a opinião de outras pessoas, quando solicitada, mas nunca deverá fazer a escolha de um nome sofrendo qualquer tipo de pressão. Lembre-se sempre de que a simples palavra que terá de escolher em poucos meses é a primeira propriedade que atribuirá ao seu filho quando nascer e estará, desde logo, a ajuda-lo a construir a sua própria identidade…





  1 Comment

Uma Resposta para Dicas Práticas para escolher o nome dos seus filhos

  1. Taimi diz:
    Your’s is the intleleignt approach to this issue.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>