Deve-se fazer a criopreservação de células estaminais?


criopreservação de células estaminais

Quando se aproxima o final da gravidez, surge quase sempre o dilema da criopreservação das células estaminais na discussão de qualquer casal. Isto passa-se sobretudo porque é um tema bastante controverso, há muita informação e contra informação em torno deste assunto e, por outro lado, ainda não há resultados que comprovem a sua eficácia efetiva.

A criopreservação é uma prática que permite manter conservada uma amostra de sangue ou de tecido, a baixas temperaturas (cerca de 196 graus negativos), em azoto líquido, e garantir que a sua composição permanece inalterada, por tempo indeterminado, ou pelo menos durante algum tempo.

As células estaminais são células indiferenciadas com capacidade para dar origem a diferentes tipos de células diferenciadas, que constituem os tecidos e órgãos do corpo humano.

A criopreservação de células estaminais é a conserva de uma amostra de sangue ou tecido que contém células indiferenciadas, ou seja têm a particularidade de se conseguirem transformar noutros tipos de células do corpo humano e poderem reparar os tecidos que se encontram danificados ou mesmo substituir as células doentes ou que vão morrendo.

As células estaminais podem ser recolhidas no sangue periférico, na medula óssea, no sangue do cordão umbilical ou no tecido do cordão umbilical. O mais usual e mais vantajoso é fazer a recolha do sangue do cordão umbilical, por uma série de razões:

  • não apresenta riscos para o dador;
  • é um aproveitamento do tecido que, de outra forma, seria inutilizado;
  • é um método que não necessita de total compatibilidade entre o dador e o paciente;
  • a recolha é indolor e inofensiva;
  • os custos associados à recolha são mais baratos;
  • a probabilidade de encontrar um dador disponível é muito maior;
  • há um menor risco de infeção e dos efeitos secundários num possível transplante;
  • a disponibilidade é imediata, quando solicitada.

Seja qual for a decisão acerca da criopreservação de células estaminais , ela deve ser tomada pelo casal e não apenas por um membro, pois nunca se sabe o que poderá vir a acontecer, sendo que o que menos falta faz na vida de qualquer pessoa são arrependimentos pelas suas decisões anteriores.

Hoje em dia, é uma prática mais comum do que há uns anos atrás. As mulheres grávidas estão mais consciencializadas para a criopreservação e já começam a perceber que, ao guardarem as células estaminais, poderão estar a proteger não só o seu filho mas também a sua família, uma vez que há bastantes probabilidades de as células serem compatíveis entre indivíduos da mesma família. No entanto, ainda é um processo bastante dispendioso e a maioria das famílias não consegue suportar os custos num instituto privado de criopreservação de células estaminais.

Se a sua opinião for favorável, mas em termos monetários não tiver possibilidades, pode sempre optar pela doação a um banco público de sangue do cordão umbilical e é usado para a transplantação e investigação e ainda asseguram a criopreservação das células estaminais.

recolha de sangue do cordão umbilical





  No comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>