Consultas Médicas e Exames durante a gravidez


Consultas Médicas e Exames durante a gravidez

Antes de engravidar, procure fazer uma consulta com o ginecologista para se certificar que tudo está bem com o seu organismo e que não tem quaisquer problemas de saúde.

Nesta consulta pré-concecional, o médico pedir-lhe que faça análises e recomendar que comece a tomar um suplemento de ácido fólico. Nesta altura, será também pesada e ser-lhe-á medida a tensão arterial, para que se recolham dados que sirvam de referência para estabelecer uma comparação da situação clínica antes e depois de engravidar.

A partir do momento em que começa a tentar engravidar, deverá estar atenta aos sintomas que possam surgir. De todos os sintomas, o que começa por chamar a atenção é o atraso menstrual, embora este facto, por si só, possa não ter qualquer relação com uma possível gravidez. Por isso, caso note um atraso na menstruação, eventualmente associado a um outro sintoma comum que é uma sensação de inchaço no peito, deverá fazer um teste de gravidez para confirmar se está efetivamente grávida.

Teste de gravidez

O teste de gravidez mais credível baseia-se na análise sanguínea à hormona HCG (Hormona Gonadotrofica Coriónica Humana) que, durante a gravidez, existe em maior quantidade para manter o útero com um bom nível sanguíneo para poder alimentar o feto.

A par deste teste aos níveis de HCG, existem outras formas de fazer o teste de gravidez, sendo o da urina um dos mais comuns. No entanto, dependendo da altura da conceção e daquela em que faz o teste, este pode apresentar resultados falsos, indicando que não está grávida, quando na realidade poderá estar. Contudo, é somente no resultado negativo de gravidez que o teste da urina pode não ser tão fidedigno como o da hormona HCG, pois se o teste indica que está grávida é porque está mesmo.

Logo que sinta os primeiros sintomas de gravidez, deverá ser observada por um médico obstetra, a fim de ser feito o teste. Assim que estiver confirmada a gravidez, começará a ter consultas regulares, devendo a primeira delas ser marcada o mais cedo possível.

A grávida deverá ter, em média, 10 consultas durante a gravidez (uma consulta mensal até às 36 semanas de gestação e uma quinzenal das 36 às 40 semanas).Consultas médicas

Na primeira consulta é confirmada a gravidez. O médico obstetra (ou um enfermeiro) fará um levantamento de dados relevantes sobre a sua saúde, designadamente:

  • Averiguação de existência de parentes com diabetes, doenças congénitas ou oncológicas
  • Dados obstétricos relevantes acerca de uma eventual gravidez anterior.
  • História menstrual e ginecológica da gestante
  • Indagação acerca do consumo de substâncias nocivas
  • Informações relevantes sobre o pai do bebé (nomeadamente o grupo sanguíneo)
  • Verificação do boletim de vacinação da gestante

Após a primeira consulta, mais exaustiva em termos de verificação de documentos e historial de saúde, o procedimento nas restantes será basicamente o mesmo. Estas consultas centram-se em avaliações de peso, medição tensão arterial e verificação de exames de rotina, a fim de se perceber e averiguar a evolução da gravidez.

Exames durante a gravidezÉ importante que dê sempre conhecimento ao obstetra de desconfortos ou sintomas que surjam, a fim de poder perceber o que se passa e receber um aconselhamento sobre a melhor forma de os minimizar e/ou controlar. As análises trimestrais serão uma forma de confirmar se a gravidez está a evoluir bem e verificar se contraiu alguma doença infetocontagiosa.

Os batimentos cardíacos do feto, audíveis a partir da 10ª semana de gestação, também serão avaliados em todas as consultas, assim como a frequência de movimentos fetais (que a partir da 21ª semana começam a ser sentidos pela mãe). A partir da 35ª semana, a gestante anotará no boletim da grávida o número de movimentos fetais e se, num prazo de 24 horas não sentir no mínimo 10 movimentos, deverá dirigir-se logo às urgências.

Exames na gravidez

As ecografias são exames realizados em cada trimestre da gravidez que fornecerem informação importante ao obstetra acerca do sexo, desenvolvimento e integridade física do feto. As ecografias permitem também uma visão cada vez mais realista e percetível do bebé, contribuindo para que os pais comecem, desde cedo, a desenvolver laços de amor e afeto com o seu filho.

Além das 3 ecografias de rotina (realizadas por volta da 12ª, 18ª e 34ª semanas), em caso de história anterior de aborto, hemorragia ou crescimento fetal diminuto, o obstetra poderá solicitar ecografias adicionais, a fim avaliar a evolução da gravidez e o estado de saúde do bebé.

Nos casos em que as ecografias não sejam conclusivas ou exista algum fator de risco para o desenvolvimento de uma anomalia fetal, o obstetra poderá propor a realização de exames específicos, como o doseamento da alpha-fetoproteína (α-fetoproteína) e/ou a amniocentese.





  No comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>