Alimentação Saudável na Gravidez

Para manter uma alimentação saudável na gravidez deve dar atenção à qualidade dos alimentos e fazer uma alimentação equilibrada. Acima de tudo, há que ter bom senso. Ler mais »

Amamentação… a opção é da Mãe

A amamentação é um ato de total liberdade, que deve depende unicamente da mãe e da criança. Se num dado momento a opção for outra, nada muda em termos de Amor. Ler mais »

Azia durante a Gravidez

A azia é um sintoma comum a partir do segundo trimestre da gravidez. O seu aparecimento deve-se ao aumento do útero e às alterações hormonais que ocorrem. Ler mais »

Viver a Maternidade... prepare-se para Ser Mãe

Não há nenhum manual que a ensine a ser mãe. Mas neste artigo damos-lhe dicas úteis que a ajudam a preparar-se para viver a maternidade que cresce dentro de si. Ler mais »

Gestação: as 4 Primeiras Semanas

Começam a formar-se o cordão umbilical e a placenta, bem como as extremidades, os pulmões e o tubo neural no embrião. A mãe também sente grandes alterações... Ler mais »

 

Arquivos da Categoria Ser Mãe

Guia para uma Alimentação Saudável durante a Amamentação

As necessidades energéticas são maiores enquanto amamenta do que durante a gravidez. A produção do leite materno implica um enorme esforço para o organismo e um gasto de, aproximadamente, 700 calorias diárias. Desde os primeiros meses de gravidez que o organismo da mulher começa a fazer uma boa reserva de gordura e de nutrientes, aos quais recorre­rá nas primeiras semanas, enquanto recupera do parto. Além destas reservas, para produzir leite, o organismo precisa de ir buscar nutrientes aos alimentos; a mulher deverá aumentar o fornecimento energético em 500 calorias diárias para suprir esta necessidade.

Saiba, pois, quais são as necessidades nutricionais e a alimentação que deve seguir enquanto amamenta.

Guia da Alimentação durante a Amamentação

Viver a Maternidade… Livros para ler na Gravidez

Não existe nenhum manual que a ensine a ser mãe. No entanto, há muitos livros que podem ajudar nesta fase da sua vida, levando-a a preparar-se para a maternidade e a viver a gravidez desde o momento da conceção até ao parto.

Aproveite os nove meses para descansar, pensar em si e no seu bebé, preparando-se para acolher a maternidade que cresce a cada dia em si. Aproveite para ler e, quem sabe, esclarecer as suas dúvidas sobre o que é ser mãe…

Apresentamos uma lista de livros sobre o tema da gravidez que a poderão ajudar:

Amamentação… a opção é da Mãe

Contra todas as evidências e argumentos científicos, as taxas de aleitamento materno ainda ficam aquém do que seria desejável.

Também não é por acaso que, apesar de praticamente todas as mulheres saberem e afirmarem que o leite materno é o melhor para os seus filhos, expressando o desejo de amamentar, ou de 95% das mães saírem das maternidades portuguesas com esta prática, o aleitamento materno sofre um rápido declínio ao fim de alguns dias ou semanas, atingindo valores francamente baixos no final do terceiro mês — altura em que as mães ainda nem retomaram o trabalho fora de casa

São muitas as causas que levam ao abandono da amamentação sem ser por desejo da mulher.

Viver a Paternidade: estabelecimento dos Afetos

A vivência da paternidade constrói-se com o tempo e à medida que se estreitam os afetos com o bebé, não é imediata.

Mesmo que o homem acompanhade a gravidez ao lado da mulher, o processo do pai decorre de fora para dentro, enquanto o da mãe é de dentro para fora. A mulher tem nove meses para criar laços afetivos com o bebé, ao mesmo tempo que se adapta às transformações que ocorrem no corpo e na alma. O homem, por sua vez, vai vendo as transformações no corpo da mulher, sem conseguir ter com o bebé a relação íntima que a mãe estabelece desde o início da gravidez, e de repente aparece um novo ser que é seu filho…

Ou seja, o vínculo afetivo não costuma ser tão imediato no homem como é na mulher, embora ele também amadureça com as transformações. Basta ter paciência… Para a maioria dos homens, o estabelecimento do afeto e a vivência da paternidade pode levar meses.

Cólicas e refluxos na adaptação do bebé ao leite materno

O leite materno é fundamental para o crescimento e saúde do bebé, fornecendo-lhe todos os nutrientes de que precisa – proteínas, gorduras, hidratos de carbono, minerais e vitaminas. Além disso, devido às imunoglobulinas, linfócitos e outras células de defesa presentes no leite da mãe, o aleitamento materno protege a criança contra infecções.

Até o sexto mês de vida, o leite materno deve ser a única alimentação do bebé, embora na fase de adaptação à amamentação surjam situações, como as cólicas e refluxos, que requerem especial cuidado e atenção por parte da mãe.

Nos primeiros dias, o recém-nascido mama pouco leite, pois o estômago é pequeno e o ele cansa-se mais facilmente. Por isso, os intervalos para mamar são curtos (o comum é ocorrerem de hora em hora). À medida que vai crescendo, o bebé já consegue mamar durante mais tempo, pois a capacidade do estômago é maior e passará a fazê-lo, em média, a cada três horas.