Alimentação Saudável na Gravidez

Para manter uma alimentação saudável na gravidez deve dar atenção à qualidade dos alimentos e fazer uma alimentação equilibrada. Acima de tudo, há que ter bom senso. Ler mais »

Amamentação… a opção é da Mãe

A amamentação é um ato de total liberdade, que deve depende unicamente da mãe e da criança. Se num dado momento a opção for outra, nada muda em termos de Amor. Ler mais »

Azia durante a Gravidez

A azia é um sintoma comum a partir do segundo trimestre da gravidez. O seu aparecimento deve-se ao aumento do útero e às alterações hormonais que ocorrem. Ler mais »

Viver a Maternidade... prepare-se para Ser Mãe

Não há nenhum manual que a ensine a ser mãe. Mas neste artigo damos-lhe dicas úteis que a ajudam a preparar-se para viver a maternidade que cresce dentro de si. Ler mais »

Gestação: as 4 Primeiras Semanas

Começam a formar-se o cordão umbilical e a placenta, bem como as extremidades, os pulmões e o tubo neural no embrião. A mãe também sente grandes alterações... Ler mais »

 

Arquivos da Categoria O Parto

Saúde Materna e Decréscimo da Mortalidade

Ao longo dos últimos anos tem-se vindo a registar um decréscimo da mortalidade materna em todo o mundo. Esta descida do número de mortes de mulheres grávidas regista-se pela melhoria nos cuidados de saúde materna, tendo efeitos não só na diminuição de complicações ocorridas durante a gravidez, como também no decorrer do parto.

No início da década de 80, a mortalidade materna atingiu o numero de 500 mil mulheres que sofreram complicações na gravidez ou durante o parto. Em 2008 esse número era já muito menor, registando-se um número inferior a 350 mil mulheres que morreram ao dar à luz ou enquanto estavam grávidas.

Em Portugal, a mortalidade materna teve um decréscimo anual de 2,9%, situando-se o país numa boa posição em relação aos países com uma taxa de mortalidade mais baixa – o país atingiu o 30º lugar no ranking mundial. Esta situação deveu-se sobretudo ao alargamento dos cuidados de saúde materna e pré-natal, ao mesmo tempo que se registava uma oferta crescente das consultas de planeamento familiar incluídas no Plano Nacional de Saúde.

Ser Mãe… Aconteceu em Mim o Milagre da Vida!

Normalmente, as grandes coisas acontecem-nos quando menos esperamos. E foi assim comigo… soube que estava a gerar uma nova vida em janeiro de 2003, estando já com cerca de 4 semanas.

À surpresa sucedeu-se o encantamento e, a partir de então, o meu marido “engravidou” comigo. Cada ecografia era por nós vivida com grande emoção e ficámos maravilhados quando, na primeira, soubemos que o embrião media 4 mm. Era o nosso bebé que estava a ganhar forma e, a cada semana que passava, ocupava cada vez mais o seu espaço no mundo!…

Às 20 semanas de gravidez soubemos que estava a gerar uma menina e, a partir de então, uma nova alegria nasceu em nós, pois desejávamos muito ter uma filha.

Deve-se fazer a criopreservação de células estaminais?

Quando se aproxima o final da gravidez, surge quase sempre o dilema da criopreservação das células estaminais na discussão de qualquer casal. Isto passa-se sobretudo porque é um tema bastante controverso, há muita informação e contra informação em torno deste assunto e, por outro lado, ainda não há resultados que comprovem a sua eficácia efetiva.

A criopreservação é uma prática que permite manter conservada uma amostra de sangue ou de tecido, a baixas temperaturas (cerca de 196 graus negativos), em azoto líquido, e garantir que a sua composição permanece inalterada, por tempo indeterminado, ou pelo menos durante algum tempo.

As células estaminais são células indiferenciadas com capacidade para dar origem a diferentes tipos de células diferenciadas, que constituem os tecidos e órgãos do corpo humano.

Parto na água

O parto é um momento único na vida da mulher. No entanto, todas as mulheres desejam que o parto seja calmo, tranquilo, sem grandes dores e sem complicações.

Hoje em dia, existem várias possibilidades para a realização do parto, sendo que as mulheres devem previamente fazer uma avaliação e uma análise dos prós e dos contras de cada forma e escolherem o parto que melhor se adapte à sua realidade e desejos.

O parto na água é uma das formas do parto natural, no qual a mulher fica numa banheira ou tanque, dentro de água a uma temperatura que oscila entre os 360C e 370C, de forma a cobrir toda a barriga da grávida que está em trabalho de parto. É de salientar que apenas deve entrar para dentro da banheira quando estiver com 5 cm de dilatação, uma vez que se entrar muito cedo as contrações podem abrandar e complicar o trabalho de parto. Caso comece a sentir um relaxamento total das contrações, deve sair da banheira, caminhar durante um tempo e, de seguida, voltar para a banheira, para a continuação dos trabalhos de parto. Enquanto estiver dentro da banheira deve beber bastante água, uma vez que corre o risco de desidratar ou sofrer um sobreaquecimento.

O que acontece na sala de parto?

O parto é um momento único na vida de qualquer mulher e deve ocorrer de forma tranquila, no maior conforto possível e com a privacidade que a grávida desejar. O local mais procurado e seguro para o nascimento do bebé é a sala de partos, com o devido acompanhamento médico.

A sala de partos deve estar previamente equipada com o material necessário para todo o trabalho do parto, mas também deve estar preparada para qualquer imprevisto que possa surgir, tanto para a mãe como para o bebé.

A grávida dá entrada na sala de partos antes do bebé nascer, ou seja aquando do início da primeira fase do parto, com o aparecimento das contrações uterinas de forma regular, frequente e dolorosa. Todas as fases do parto devem ser acompanhadas por uma equipa médica especializada e preparada para ajudar ao nascimento do novo ser.