Hemorróidas durante a Gravidez

Durante a gravidez a mulher sofre grandes alterações hormonais devido à preparação que o corpo tem de fazer para acolher a vida que cresce dentro de si.

Grande parte das mulheres têm hemorróidas pela primeira vez quando estão grávidas ou, se já há uma predisposição natural para as ter, durante a gravidez tendem a agravar-se. No entanto, elas não surgem repentinamente, desenvolvem-se com o tempo e existem vários fatores que podem levar à sua ocorrência:

  1. Em grande medida, o aumento da produção de hormonas femininas, especialmente da progesterona, que produz um relaxamento geral dos músculos, leva a que as paredes internas do intestino também sejam afetadas, proporcionando o aparecimento/agravamento das hemorróidas.
  2. Verifica-se um aumento do volume sanguíneo e da pressão exercida nas veias que se situam abaixo do útero, devido ao peso do feto. Desta forma, o fluxo sanguíneo torna-se mais lento, podendo mesmo estagnar em alguns pontos, originando um inchaço das veias ou até o seu rompimento, especialmente nas zonas mais propícias, como o reto e as pernas.
  3. Há também que ter em conta a obstipação, que afeta grande parte das mulheres nesta fase. Sendo as fezes mais duras e volumosas, há um esforço maior para a sua expulsão e, como as veias do reto e ao redor do ânus estão inchadas, pode surgir uma rutura.
    É, por isso, muito importante que a grávida na sua alimentação fibras, bastante água e também que pratique exercício físico para prevenir a obstipação.
  4. A questão da hereditariedade é outro factor que influencia o surgimento das hemorróidas.
  5. Por fim, estar sentada em superfícies duras durante muito tempo, pegar em grandes pesos ou estar em pé durante muito tempo poderão também contribuir para a sua manifestação.

Cuidados a ter durante a Amamentação

Enquanto amamenta o bebé, a mulher deve ter um cuidado redobrado com a sua alimentação, assim como em manter hábitos de vida saudáveis. Há, pois, alguns alimentos e/ou hábitos que podem ser nocivos para o bebé e que, por isso, devem ser evitados ao máximo.

Cuidados a ter durante a amamentação

  • Não fume!
    Entre outros riscos para a saúde do bebé, o tabaco aumenta o risco de morte súbita e doenças respiratórias. Além disso, na mulher, a nicotina diminui as concentrações de prolactina e oxitocina e, consequentemente, a produção de leite.

Ser Mãe… Aconteceu em Mim o Milagre da Vida!

Normalmente, as grandes coisas acontecem-nos quando menos esperamos. E foi assim comigo… soube que estava a gerar uma nova vida em janeiro de 2003, estando já com cerca de 4 semanas.

À surpresa sucedeu-se o encantamento e, a partir de então, o meu marido “engravidou” comigo. Cada ecografia era por nós vivida com grande emoção e ficámos maravilhados quando, na primeira, soubemos que o embrião media 4 mm. Era o nosso bebé que estava a ganhar forma e, a cada semana que passava, ocupava cada vez mais o seu espaço no mundo!…

Às 20 semanas de gravidez soubemos que estava a gerar uma menina e, a partir de então, uma nova alegria nasceu em nós, pois desejávamos muito ter uma filha.

Primeiro Trimestre da Gravidez

O primeiro trimestre de gravidez vai desde a fecundação até às 12 semanas de gestação.

Azia durante a Gravidez

A azia (ou refluxo) é um sintoma comum a partir do segundo trimestre da gravidez. É tipicamente caracterizada por uma sensação desagradável de ardor no peito e garganta, à qual se associa o sabor ácido na boca.

O aparecimento da azia durante a gravidez deve-se ao aumento do útero e às alterações hormonais próprias desta fase. Vejamos em pormenor estes dois aspetos relevantes:

O espaço cada vez maior que o útero ocupa leva a que o estômago e o intestino sofram uma grande pressão e, consequentemente, a digestão se torne mais lenta. Esta pressão sobre estômago e o consequente desenvolvimento de gases fazem com que a comida suba de novo para o esófago;
As alterações hormonais durante a gravidez provocam grandes mudanças no corpo da mulher. Neste caso em particular, o aumento do nível da hormona progesterona leva a um relaxamento generalizado dos órgãos, nomeadamente do esfíncter esofágico inferior – válvula situada entre o estômago e o esófago. Embora se encontre normalmente bem fechado, o relaxamento deste órgão provocado pela variação dos níveis de progesterona leva a que conteúdo do estômago volte para o esófago, levando à irritação característica da azia.