Problemas na Gravidez: aborto espontâneo

O aborto espontâneo, também designado aborto natural, é uma interrupção involuntária da gravidez que ocorre até às 20 semanas de gestação. É assim designado para se diferenciar dos abortos induzidos com recurso a métodos cirúrgicos ou terapêuticos.

Este tipo de aborto tem uma expressão cada vez mais significativa na sociedade, as suas causas diversas: estilos de vida e alimentação pouco saudáveis, sedentarismo, gravidez tardia (cada vez mais as mulheres engravidam no limite da idade reprodutiva) e stresse.

Na maioria das vezes, os abortos espontâneos ocorrem até à sétima semana de gestação, havendo muitos casos em que a mulher nem sequer sabia que estava grávida.

Aumentam Testes de Paternidade durante a gravidez

Devido a problemas de infidelidade ou ciúme entre os casais e, como alguns alegam, para acabar com os filhos ilegítimos, há cada vez mais testes de paternidade durante a gravidez. Os especialistas dizem que estes exames não são éticos e que os abortos vão aumentar…

Cada vez mais mulheres fazem o teste de paternidade durante a gravidez e muitas optam por abortar quando descobrem que os bebés são fruto da infidelidade, ou seja filhos dos amantes.

No Reino Unido, as estatísticas dizem que um em cada 25 homens poder estar a educar crianças que não são suas. A situação está a gerar polémica no país, tendo sido criados grupos pró-vida que contestam a realização destes testes e laboratórios que se recusam a fazê-los com medo de que o número de abortos aumente.

Guia da Gravidez: da 33ª à 36ª semana

Cada vez se aproxima mais aquele que é dos momentos mais marcantes e imprevisíveis da vida de uma mulher – o parto. Deve estar preparada, porque a qualquer momento o bebé pode decidir nascer.

Nesta fase da sua gravidez, não deve fazer grandes viagens, nem permanecer durante muito tempo de pé parada. Faça uma caminhada diária, ainda que seja pequena, pois irá ajudar muito no trabalho de parto.

33ª semana de gravidez

Saúde na Gravidez: a Rubéola

A rubéola é uma doença viral que ataca adultos e crianças, cuja característica mais marcante é o aparecimento de manchas vermelhas na face e atrás da orelha, que depois se espalham pelo corpo inteiro.

O período de incubação do vírus geralmente dura entre 2 a 3 semanas, no qual a pessoa não apresenta quaisquer sintomas, mas pode transmitir a doença. A doença é transmitida por via respiratória, pela urina, fezes ou através da pele.

As vacinas para a prevenção da doença estão disponíveis desde 1969 e fazem atualmente parte do plano nacional de vacinação em Portugal, sendo administrada em bebés entre os 12 e os 15 meses de vida. O grau de eficiência da vacina é quase de 100%, sendo, pois, uma forma eficiente de prevenir a doença. Por isso, todas as mulheres em idade fértil (entre 13 e 39 anos) têm de receber uma dose da vacina e, ao ser vacinada, a mulher ficará imune ao vírus, sendo muito difícil vir a desenvolver a doença.

Necessidades de ácido fólico na gravidez

O ácido fólico é uma vitamina do grupo B, necessária para o crescimento e desenvolvimento saudáveis. Esta vitamina é encontrado naturalmente nos alimentos, como vegetais de folhas verdes, podendo também ser ingerido através de suplementos alimentares.

Embora todos nós necessitemos de ingerir ácido fólico, ele é especialmente importante para as mulheres em idade fértil, particularmente as que planeiam engravidar. O ideal será, pois, começar a tomar um suplemento de ácido fólico antes mesmo de engravidar e não somente quando se engravida.

Para que serve o ácido fólico na gravidez?